Mike Patton: ‘Lá estava eu, mijando no teleprompter de Axl Rose’

FAITH NO MORESan Francisco - October 28, 2014Dustin Rabin Photography 2680

FAITH NO MORESan Francisco – October 28, 2014Dustin Rabin Photography 2680

BILLY GOULD, do FAITH NO MORE, afirma que certa vez trocou toda sua coleção de discos por álbuns que ele não queria – apenas para irritar às pessoas.

E isso é apenas um exemplo do quão desesperada estava sua banda para evitar acomodar-se com a típica cena musical quando eles estouraram no fim dos anos 80.

A banda, hoje reunida, está em turnê para divulgar o álbum ‘Sol Invictus’, lançado em maio.

Ele disse ao jornal inglês The Guardian: “Eu troquei todos os meus vinis de música clássica por discos de Huey Lewis And The News apenas para irritar meus amigos.

“Foi a coisa mais estúpida que eu já fiz – mas por uns 10 minutos eu tive muita satisfação por fazê-lo. ”

O FNM sempre insistiu em mudar de direção, e o conceito é bem representado por ‘Angel Dust’, de 1992, CD que a própria gravadora do grupo não queria lançar porque achava que seria um fracasso certo.

Gould conta: “A frase clássica era, ‘Eu espero que vocês não tenham acabado de comprar casas. ’”

Mas o frontman Mike Patton emenda: “Claro que compramos. ”

 Naquela época a banda abria para o GUNS N’ ROSES, e adorava o fato de os fãs de Axl Rose não gostarem deles – até que mesmo isso ficou chato.

“Se não tivesse durado tanto, teria sido legal, mas o fizemos por seis meses”, diz Gould. “Tinha que ser, tipo, aquilo era nossa vida. É como trabalhar em um emprego com pessoas que você não entende e que não entendem você. ”

Patton conta, lembrando: “Aquilo faz com que você se analise – ‘É isso que somos agora? Essa não é a minha’. Por vezes você se satura. Lá estou eu, mijando no teleprompter de Axl. Eu não tinha que fazer aquilo. ”

Mas a postura rebelde do FNM persiste. O tecladista Roddy Bottum observa: “O melhor cenário possível é se deixarmos as pessoas confusas. ”

E eles ainda conseguem surpreender uns aos outros, o que é importante para eles. “Ouvir qualquer coisa que um de nós faz a esse ponto é fascinante, ” diz Bottum.

“Eu acho que eu conheço esses caras e daí eles fazem algo que é tipo, ‘Wow, isso é realmente esquisito. ”

Ele fala sobre Sol Invictus: “Eu acho que conseguimos o que precisávamos conseguir. Se todos morrêssemos hoje, eu acho que teríamos feito um bom trabalho. ”

 

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: