Mötley Crüe: o primeiro ano, roubando mulheres e tocando no dogão

11401246_363560517174590_8798719160136879847_n

Quando o MÖTLEY CRÜE esteve em Kensington, Inglaterra, na semana passada para divulgar a vindoura derradeira passagem pelo país [o grupo pendura as chuteiras no dia 31/12], o staff da revista inglesa Metal Hammer encontrou a VINCE NEIL e NIKKI SIXX pensativos e saudosos, rindo das atribulações financeiras e putaneiras de seu primeiro ano como banda.

Nikki: “Tudo girava em torno de música, e dar o maior show do mundo. Desde o começo, sempre nos ligamos em moda e melodia e música e energia em cima do palco. Há vídeos antigos nossos tocando no Starwood Club em 1981 e estamos dando 150%, e isso era bem no auge da New Wave, todo mundo estava balançando suas cabeças e batendo palminhas. Nós não dissemos ‘vamos ser diferentes’, nós simplesmente o éramos. ”

Vince: “Sabe o que eu ainda recebo, alguém me manda panfletos do Pookie’s. ”

Nikki: “Wow! Era uma lanchonete de sanduíches onde costumávamos tocar em Pasadena. Tocávamos em todo canto. ”

Vince: “Mas ainda assim dávamos tudo de nós, mesmo em uma sanduicharia com umas 20 pessoas. Não nos importávamos, ainda tacávamos fogo em Nikki e merdas desse tipo! Tínhamos ambição. Não nos importava se não tínhamos nenhum dinheiro, porque todo dinheiro que tivéssemos, nós investíamos no nosso show. Vivíamos como cães, dependendo de mulheres para nos dar comida e tudo mais. Quando você não tem dinheiro pra comer, seu maior bilhete é uma mina que trabalha em um mercado. Lembra dos cachorros-quentes e do queijo? Tínhamos um segurança enorme…”

Nikki: “Big Joe? ”

Vince: “Eu não sei, ele era um cara gigante que pagávamos para ficar com a banda. Eu sempre lembro daquele cara comendo todos nosso cachorros-quentes. ”

Nikki: “Dizíamos, ‘Cara, não comemos faz dois dias! Tivemos que comer a mina mais feia para arrumar esses lanches! ’ sempre tentávamos bolar um jeito de arrumar fosse lá o que queríamos. Se tivéssemos que roubar de uma mulher, roubávamos. Ficávamos fitando elas no Rainbow: ‘Essa aí é do tamanho do Vince. Essa jaqueta de couro vermelho que ela está usando é legal’. E daí roubávamos as roupas delas! ”

Vince: “Ou construíamos qualquer coisa que precisássemos para o show do palco. Construíamos todo nosso set, aqueles praticáveis com luzes piscando. ”

Nikki: “Graças a jeová que Vince era eletricista! ”

Vince: “Sim, eu tinha um pouco de experiência como carpinteiro também, então eu construí o praticável, que era uma monstruosidade. E daí o vendemos para o RATT! ”

Nikki: Aquilo era uma grande coisa naquele tempo. Não tínhamos pilhas de amplificadores porque ninguém tinha grana, então criamos essas peças para combinar com o praticável, e elas tinham um quadro branco com o interior preto, então quando o Mötley Crüe chegava ao Whisky A Go o palco era dominado por nós. Tínhamos essas coisas com luzes no chão, e virávamos as luzes para nós mesmos, e não tínhamos luzes frontais. Então os caras da iluminação diziam, ‘como assim vocês não querem spots? ’

“Sempre pensávamos assim, era empolgante. Usávamos fita adesiva para pendurar correntes se a gente achasse alguma, roubávamos coisas, construíamos coisas, é como Vince disse: é a ambição. Não tínhamos dinheiro, apenas tínhamos ambição. Criávamos as coisas que fazem as pessoas falarem a respeito da banda e dos shows. Trabalhamos muito duro. Porque amamos isso. ”

 

 

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: