Led Zeppelin: banda ainda reina entre os boots – conheça o Top 6

Led Zeppelin

Parafraseando JAMES THURBER, os anos 70 foram os anos do amor aos bootlegs. Em um tempo antes que milhões de vídeos feitos com iPhones em shows pudessem ser exibidos online, selos especializados em registros piratas como o Trade Mark Of Quality [TMQ] obtinham lucro vendendo gravações ilegais de shows de rock na íntegra. A banda mais pirateada era o LED ZEPPELIN.

Até hoje, o Led Zeppelin permanece sendo o rei dos bootlegs, com aproximadamente 380 ou mais títulos em circulação. Muitos desses bootlegs agora estão disponíveis online, através do YouTube ou de uma série de outros canais legalmente questionáveis. O problema com a maioria dos bootlegs é que eles têm uma qualidade de áudio absolutamente horrenda e soam pior do que se tivessem sido gravados com um microfone sendo descartado por uma descarga de privada. O empresário do Led, PETER GRANT, tinha uma vendeta pessoal contra os pirateiros e foi filmado no filme ‘The Song Remains The Same’ gritando com um homem que vendia camisetas falsas do grupo em um show de NYC. Se Grant avistasse piratas, ele quebrava suas fitas, ou, tal como ele fizera no Bath Festival de 1970, jogava um balde de água no equipamento de gravação do parasita.

Led Zeppelin

Muitas pessoas, inclusive eu, acreditam que as performances ao vivo do Led Zeppelin ofuscam completamente seus registros de estúdio. Com as reedições de ‘Led Zeppelin IV’ e ‘Houses of The Holy’ saindo esse mês, JIMMY PAGE quis lembrar as pessoas do ‘quão bom pra caralho o Led Zeppelin era’. Contudo, o que fazia do Led Zeppelin uma grande banda de fato mal encontra referência nos remasters. O segundo disco do relançamento de ‘Led Zeppelin I’ é um bootleg de uma apresentação da banda em 1969 no Olympia de Paris. O set inclui uma das primeiras performances de “Heartbreaker” e possivelmente a melhor execução de “Moby Dick” por parte de JOHN BONHAM que você jamais ouvirá.

Para a maioria dos fãs que ouviram os discos do Led Zeppelin antes e não são audiófilos, esses novos relançamentos não soarão notavelmente diferentes, particularmente se reproduzidos em um laptop ou em um iPad.

Sendo assim, em um esforço para lhes dar algo novo – e lhe poupar de ter que selecionar dentre as 380 gravações majoritariamente inaudíveis por aí – eis alguns dos melhores bootlegs sobreviventes do Led Zeppelin:

 

  1. LISTEN TO THIS, EDDIE

THE FORUM, LOS ANGELES, 21 DE JUNHO, 1977

 
 

Considerado por muitos como um dos melhores shows do Led Zeppelin, ‘Listen To This, Eddie’ é um bootleg da primeira das seis noites no Forum de Los Angeles. O ‘Eddie’ do título supostamente se refere a EDWARD VAN HALEN, que criticara a Jimmy Page em uma entrevista por volta dessa época, dizendo, “Como guitarrista, Page é muito bom no estúdio, mas eu nunca o vi tocar bem ao vivo. Ele é muito desatento. Ele toca como se estivesse com a mão quebrada e tivesse dois anos de idade.”

Outro excelente bootleg da sequência de 1977 em Los Angeles é “For Badgeholders Only”. “Badgeholder” era uma gíria para uma groupie, e no disco você pode ouvir a Plant perguntando se ‘alguém pode nos achar uma badgeholder?’. “For Badgeholders Only” também é um grande disco pirata porque aquele show teve várias participações do baterista do THE WHO, KEITH MOON.

 

5. MUDSLIDE

PACIFIC COLISEUM, VANCOUVER, BC, 21 DE MARÇO, 1970

Enquanto a performance é excelente, há pouco além disso que seja digno de nota em ‘Mudslide’ – exceto pelo fato de que foi o primeiro bootleg do Led Zeppelin a ser lançado. Hoje em dia, achar um vinil original de 1970 é extremamente raro, então, tarados pela banda, mantenham os olhos abertos.

 

4. DON’T MESS WITH TEXAS

TEXAS INT’L POP FESTIVAL, DALLAS, 31 DE AGOSTO, 1969

“Don’t Mess with Texas” foi um dos bootlegs mais populares durante os anos 70, simplesmente porque todo mundo estava no ápice de seu talento naquela noite [vide o solo de gaita de ROBERT PLANT na primeira música]. Durante os anos 60, a banda frequentemente começava os shows com um cover da antiga banda de Jimmy – os YARDBIRDS‘Train Kept A-Rollin”, que depois seria um single do AEROSMITH.

 

Outro marco dos shows do Led Zeppelin nos anos 60 era seu medley de ‘How Many More Times’, que tinha uma miscelânea de clássicos do rockabilly e do blues. O medley em “Don’t Mess With Texas” inclui “Suzy Q”, “Eyesight To The Blind”, “Lemon Song” e “Bye Bye Baby [Baby Good Bye]”.

 

3. TV BYEN / DANMARKS RADIO

GLADSAXE TEEN CLUB, 17 DE MARÇO, 1969

OK, tecnicamente isso não é um bootleg, mas nunca foi lançado como produto oficial pela banda, então vamos considera-lo como um. Essa é a primeira aparição do Led Zeppelin na TV, gravada em sua segunda turnê escandinava, duas semanas antes de ‘Led Zeppelin I’ ser lançado. Jimmy está trajando um cardigan enquanto Plant nem tinha cabelo comprido ainda. Imagine ser um jovem impressionável em 1969 e ver essa banda pela primeira vez na sua televisão. Page estava usando pedais revolucionários de guitarra que só encontravam par no lendário CREAM. A bateria de BONHAM está tão na cara aqui que você consegue escutar cada pedal duplo; e a catilogência com a qual Plant apresenta a banda [‘e eu mesmo, Robert Plant’] é surreal. Teria mudado sua vida. Ainda assim, todos aqueles garotos escandinavos sentados comportadamente e apenas batendo palmas é bastante macabro.

 

2. DANCING AVOCADO

FILLMORE WEST, SÃO FRANCISCO, 24 DE ABRIL, 1969

Dancing Avocado é um show de uma hora de duração com apenas cinco músicas [e a última é um solo de bateria]. É meu bootleg favorito do Led Zeppelin por três motivos:

  • Tem qualidade que beira a de estúdio, e é o bootleg de melhor audibilidade que eu já consegui achar de qualquer performance da banda.
  • A banda toca sua música ‘As Long As I Have You’, que nunca foi gravada em estúdio.
  • Durante a primeira música, eles estavam tendo problemas técnicos com o baixo, então por volta da marca de 11:50, o grupo começa uma jam improvisada insana, que tem um duelo entre Page e Bonham, e uma cantoria hilária sobre suas dificuldades técnicas.

 

1. ROYAL ALBERT HALL

ROYAL ALBERT HALL, LONDRES, 9 DE JANEIRO, 1970

 

Tudo bem, esse também não é tecnicamente um bootleg, mas se você quisesse mostrar a alguém que nunca tivesse visto o Led Zeppelin o quão bons eles eram em seu auge, esse seria o show a se ver. Robert Plant ainda tinha voz, todo mundo tinha roupas e cabelo absolutamente ridículos, e o medley de ‘How Many More Times’ foi o melhor da história. Essas imagens foram filmadas profissionalmente, já que a intenção original de Peter Grant era fazer um documentário. Contudo, problemas com as técnicas de gravação de então fizessem com que elas nunca vissem a luz do dia até o DVD ‘Led Zeppelin’ de 2003. O áudio dessas performances de “We’re Gonna Groove” e “I Can’t Quit You Baby” foram usados como takes [com overdubs] para as versões contidas em “Coda”.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: